TDAH-Déficit-de-atenção-com-HiperatividadeSaiba como perceber os primeiros sinais do TDAH

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade – TDAH acomete principalmente as crianças

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade, o TDAH, é um transtorno neurobiológico que é diagnosticado na infância e pode estar presente por toda a vida do paciente.

Seus principais sintomas incluem desatenção, inquietação e impulsividade, os quais podem ser amenizados de forma multimodal.

O TDAH é uma condição bastante comum em crianças e adolescentes, os casos ocorrem em 3 a 5% das crianças no mundo todo e mais da metade desses registros mostram o indivíduo com o transtorno quando adulto.

O diagnóstico acontece principalmente durante a infância porque ainda é possível associar o desempenho escolar ao comportamento ativo da criança; já em adultos é mais complicado, pois é facilmente confundido com o transtorno de personalidade.

A base do TDAH é principalmente orgânica e aponta uma disfunção em áreas do córtex cerebral em relação à atividade do órgão.

O que acontece é o seguinte: os neurônios devem pulsar em uma frequência equivalente ao esforço que o cérebro fará, por exemplo, durante uma leitura.

Quando a pessoa sofre de Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade, essa pulsação é mais lenta do que o esperado, exigindo mais esforço e, consequentemente, maior ativação dos neurônios.

Além da ocorrência genética (orgânica), é possível perceber o déficit de atenção em pessoas influenciadas pelo seu meio. Com o passar dos anos o cérebro se reconstrói e se modifica, sofre neuroplasticidade, conforme as experiências de vida e interações.

Dessa forma, o TDAH pode se desenvolver por causa do círculo social, os hábitos, as escolhas de vida e até mesmo a educação, já que todos esses fatores afetam os estímulos que o cérebro recebe.

Segundo a ABDA – Associação Brasileira de Déficit de Atenção, o TDAH ainda pode ser causado por predisposição genética, quando algum membro da família foi diagnosticado; por substâncias ingeridas durante a formação do feto, como álcool e nicotina, por sofrimento fetal e, raramente, por exposição ao chumbo.

Como diagnosticar o TDAH – Transtorno do Déficit de Atenção

diagnostico-de-TDAHOs sintomas do TDAH se caracterizam por dois comportamentos: a desatenção e a hiperatividade-impulsividade. Por isso, os pacientes são considerados avoados, estão quase sempre muito ativos, têm o hábito de interromper e possuem dificuldades de organização.

Esses sinais só não são notados durante os momentos em que estão em alguma atividade que gostem muito e conseguem se concentrar mais.

A questão da organização é o fator mais marcante em um adulto que não foi diagnosticado com TDAH quando criança. Porém, seu bem-estar é afetado ainda mais, como o estresse por não cumprir totalmente com suas obrigações, a hiperatividade mental e dificuldade de se relacionar.

O diagnóstico do Transtorno de Déficit de Atenção é chamado de Diagnóstico Diferencial e é muito minucioso, porque analisará as queixas da pessoa de uma forma ampla a partir da intensidade dos danos percebidos e buscará a causa. Deve ser feito por um especialista em transtornos psíquicos, cognitivos, emocionais e comportamentais.

É importante ressaltar que o TDAH deve ser diagnosticado na infância, se for descoberto na fase adulta pode se tratar de uma comorbidade – mais de um problema afetando a saúde da pessoa, o que exige ainda mais cuidado ao ser tratado.

Como tratar o TDAH – Transtorno do Déficit de Atenção

como-tratar-TDAHO TDAH é um fenômeno multidimensional, que interfere no comportamento, emocional e na aprendizagem, por isso o tratamento deve contemplar todas essa áreas e ainda combinar exercícios e medicação, deve ser multimodal.

O primeiro passo do tratamento deve ser a Psico-Educação, o qual serve como base para lidar com o transtorno; é eficiente para diagnosticados e pessoas próximas, porque irá muni-los de informações sobre o gerenciamento, as mudanças e os ajustes requeridos diariamente.

Esse processo é essencial durante tratamentos específicos para compreender as orientações.

O plano de tratamento multidimensional é o tratamento propriamente dito. Trata-se de um plano de ação com as áreas que exigem mais atenção e os objetivos.

Aliado a isso tudo, é preciso também melhorar a atividade cerebral e a cognição por meio de exercícios, principalmente nos casos de TDAH orgânico.

A série consiste em ginástica e estimulação cerebral, assim como práticas de Biofeedback e o Neurofeedback que irão trabalhar o potencial de foco, concentração e equilíbrio emocional.

Incentivar novos hábitos ajuda na eficiência do tratamento do Transtorno do Déficit de Atenção, como acabar com a procrastinação. Para isso, recomenda-se as terapias comportamentais-cognitivas.

Medicação para o TDAH – Transtorno do Déficit de Atenção

Medicação para o TDAH Além dos meios alternativos que irão incentivar o trabalho natural do cérebro para amenizar os efeitos do TDAH, existem os medicamentos que devem ser incorporados ao tratamento do transtorno.

Na primeira e segunda etapa os médicos indicam estimulantes, como:

  • Venvanse
  • Ritalina
  • Concerta
  • Ritalina LA
  • Strattera

Caso os resultados não sejam obtidos, os antidepressivos são prescritos:

  • Tofranil
  • Pamelor
  • Wellbutrin SR
  • Atensina

A visita médica é indicada antes de iniciar qualquer tipo de tratamento para o TDAH, evitando até mesmo o autodiagnostico.